Mafra(SC), Segunda-Feira, 24 de Janeiro de 2022 - 10:17
17/12/2021 as 13:22:35 | Por Sinval Campelo |
Moradores do Residencial Ouro Verde em Mafra tiveram contas bloqueadas pela Justiça do Trabalho
Vereador Serginho auxiliou na liberação de contas bancárias bloqueadas pela Justiça
Fotografo: divulgação
Condomínio Ouro Verde-sbcsul.17.12.21

A revolta tomou conta dos 240 condôminos que residem no Residencial Ouro Verde, no município de Mafra na última terça-feira, 14, e o motivo foi que a justiça trabalhista fez a penhora online do dinheiro que os condôminos em conta bancária, ou seja, o condômino dormiu com R$ 1 mil na conta e acordou sem nada.

   

No grupo de whatsapp SBCSul, integrantes do grupo se mobilizaram para encontrar uma solução rápida de ajuda aos moradores do condomínio Ouro Verde e a internauta Elisangela Hack acionou a empresária Ana Catarina Scholze de Souza e esta o advogado e vereador Sérgio Severino (Serginho advogado) que também integra o grupo SBCSul no whatsapp formando uma corrente positiva e a Justiça Trabalhista foi acionada naquela manhã e a tarde Serginho já tinha uma definição favorável da justiça pela liberação da conta bancária dos condôminio.

 

 

È compreensível que os 240 moradores do condomínio tenham ficado sem chão ao acordar de manhã e ir pagar contas de luz e fazer suas compras de mercado do dia a dia e se depararem com a conta bloqueada.  Acontece que condomínio é rateio de despesas, o síndico é eleito como representante do condomínio, mas o condomínio é o empregador e como empregador ele tem obrigações trabalhistas; neste caso ocorreu um processo que cinco porteiros/seguranças (ex-funcionários) ganharam por terem ficado sem receber depois do falecimento do sindico do Ouro Verde. Não houve acerto entre os condôminos e o caso foi parar na justiça e a condenação veio nesta semana e o condomínio na obrigação de pagar a indenização estipulada de R$ 80.000,00 e essa indenização seria rateada pelos condôminos. E para garantir os direitos dos trabalhadores, as contas de todos foram bloqueadas para pagamento da dívida.

 

Serginho, comunicou em seguida, no mesmo dia, que a Justiça Trabalhista havia se posicionado em não prejudicar ninguém, ainda mais neste período de festas de fim de ano e a pedido dos advogados do condominio, parcelou a divida em 40 vezes de R$ 2.000,00 entre os moradores do Ouro Verde e a conta bancária dos 240 condôminos foi liberada na manhã do dia seguinte, trazendo alivio aos moradores do Oruro Verde que se desesperaram em ver seu dinheiro bloqueado pela Justiça.  

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil