Mafra(SC), Quarta-Feira, 10 de Agosto de 2022 - 15:13
17/07/2022 as 14:45 | Por Sinval Campelo |
Globo se complica e nega estimular violência contra Bolsonaro
Vídeo vazado no sábado mostra ator representando Bolsonaro caído ao chão com flechadas
Fotografo: divulgação
Cenas de violência no filme...sbcsul.17.7.22

É ou não é...mais uma polêmica envolvendo os movimentos direita e esquerda da política brasileira repercutiu nas redes sociais na manhã de sábado, 16. Mais objetivamente o presidente Jair Bolsonaro e a Rede Globo. No vídeo polêmico e fotos postadas, aparece um homem caído ao chão, sendo uma nítida representação do presidente Bolsonaro (PL) com ferimentos e caído com uma “flechada” no pescoço, ao lado de uma motocicleta. Depois de muitas controvérsias e ataques do presidente Bolsonaro, filhos e deputados apoiadores em direção á Rede Globo, apontando esta como autora da produção da encenação, eis que o Grupo Globo buscou se desvencilhar do ocorrido e apontou para a produção cinematográfica do  filme “A Fúria”, do cineasta Ruy Guerra. Por sua vez, a equipe do longa-metragem  diz que a divulgação das cenas é ilegal e que o filme que começou a ser filmado dia 5 de julho e tem prazo de ficar pronto em agosto deste ano será lançado em 2023, fechando a trilogia iniciada em 1964, com “Os Fuzis”, e sequenciada em 1978, com “A Queda”.

 “Portanto, não há qualquer relação com o processo eleitoral e, muito menos, forjar fake news”, afirma a produção em nota e que o vídeo postado nas redes  sociais está fora  “do contexto que a história será contada”.

Inicialmente, bolsonaristas chegaram a afirmar que as cenas teriam sido gravadas no Projac, moderno e amplo na área de sistema de gravação de filmes e novelas da Rede Globo. A emissora nega qualquer participação no episódio, mas o filme “A Fúria”, dirigido por Ruy Guerra, tem apoio financeiro do Canal Brasil –e a Globo tem “participação acionária no Canal Brasil” sendo assim 3,61%  nos direitos autorais. Para os apoiadores do presidente, está claro que o vídeo vazado nas redes sociais serveria como estimulador de violência contra o presidente que costuma participar de motociatas por vários municípios do Brasil. Em nota, o Grupo Globo diz que :  “Embora tenha participação acionária no Canal Brasil,  a Globo não interfere na gestão e nos conteúdos do canal”, explica o texto da assessoria.

Sobre o vídeo que circula nas redes sociais, a Globo desmente que pertençam a produções suas – “...seja para canal aberto, canais fechados próprios ou Globoplay – vídeo e fotos que estão circulando nas redes sociais de gravação de obra ficcional mostrando um atentado ao presidente da República e que tanto a Globo como o Canal Brasil não tinham conhecimento das cenas do filme de Ruy Guerra, com cenas de um ator interpretando o presidente Bolsonaro e muito menos com cenas fictícias de atentado à sua vida.

De positivo depois de tanto barulho entre a Globo e os bolsonaristas, cabe ressalta que o vazamento da cena da “flechada no Presidente”, valeu como grande marketing de publicidade prévia ao filme de Ruy Guerra, ‘A Queda’, ainda sem data de lançamento. De negativo, a Rede Globo pode ver apoiadores do Governo começarem campanhas para desestimular visualizações e assim a Globo pode sofrer perda de telespectadores bolsonaristas em suas novelas e programação a princípio, e os filmes de Ruy Guerra sofrerem questionamentos na Justiça e boicotes. 

De fato é que, num pais democratico como o Brasil, há a liberdade de expressão e esse princípio é  inegociável, como o presidente Bolsonaro vem citando em suas manifestações diárias à imprensa e ao povo brasieliro. Pela lei, entretanto, quem se sentir ofendido por uma obra ou por alguém pode contestar na Justiça seus direitos.

De fundamento mesmo, temos o posicionamento de Ruy Guerra que já fez criticas publicamente ao Governo Bolsonaro, o qual ele chamou de “ extrema direita que está promovendo um assassinato cultural. Quando eu cheguei aqui, o Brasil era o País do futuro. Nunca imaginei que o futuro seria uma sociedade miliciana”, disse Guerra, nascido em Moçambique, na África.

Estratégia política

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em 22 de novembro de .2021 que a TV Globo terá que estar “arrumadinha” caso queira renovar sua concessão pública –que vence em outubro de 2022. O chefe do Executivo dizia que não haveria “perseguição”, mas pedia a empresa que apresente suas “certidões negativas” até outubro deste ano. No entanto, a coisa mudou neste ano de 2022, ano eleitoral e a Globo com o fenomeno de telespectadores do BBB22 e na sequencia o sucesso da novela Pantanal aumentou sua audiência e muito, e o Governo Federal viu que é melhor se aliar ao inimigo quando não se pode derrubá-lo e, segundo o portal UOL, vem aumentando gradativamente o repasse de valores pagos à Globo por publicidades do governo divulgadas na emissora,  aumento de 75% entre janeiro e julho e chegou a R$ 11,4 milhões. Mas com o episódio atual do vídeo com cenas de atentado ficticio ao Presidente e o envolvimento da Globo, mesmo que de forma indireta, diferente do,que pensam bolsonaristas, deve haver a aproximação ainda mais da Rede Globo com o presidente Bolsonaro "como numa nova rodada de cartas" e o croupier será o Governo que tem a seu favor as redes sociais para buscar influenciar telespectadores da Globo num suposto boicote à emissora diante dos últimos acontecimentos e assim, ter a gigante Globo ao seu lado em ano eleitoral e há três meses de revovação de concessão. .


 

As imagens a seguir foram postadas pelo bolsonarista Gustavo Gayer nas redes sociais.

mm

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil