Mafra(SC), Quarta-Feira, 01 de Dezembro de 2021 - 17:46
07/11/2021 as 18:33 | Por Assessoria |
Esposa do prefeito pode ter arquitetado vingança contra delator
Esposa do prefeito de Bela Vista do Toldo suspeita de tentar impedir investigação policial
Fotografo: divulgação
Maria Alberti-sbcsul.7.11.21

É OU NÃO É...A primeira dama de Bela Vista do Toldo, Maria Emilia Schiessl Alberti, foi presa na quinta fase da operação Et Pater Filium. Segundo o colunista Edinei Wassoaski, do JMais, Maria Emilia estaria “arquitetando trama” para causar mal grave ao colaborador Marcelo Kosmala, um dos principais delatores do esquema criado pelo então prefeito que está preso, Alberti. O MPSC cita textualmente a suspeita de um suposto atentado contra Kosmala que estaria sendo arquitetado pela primeira dama, conta o jornalista.

Wassoaski diz que uma testemunha protegida contou que ouviu um homem conhecido como “Arrepiado” que teria contado que Maria Emilia buscava vender um caminhão para juntar dinheiro a fim de se vingar de Kosmala. “Arrepiado” teria dito a esta testemunha em relação a Kosmala “que o que é dele tá guardado”. Esse cidadão, identificado depois pelo MPSC, negou a versão, mas confirmou que comprou o caminhão.

“Acrescenta, ainda, que há indícios de participação da representada (Maria Emilia) nos delitos de causar impedimento ou embaraço à investigação criminal que envolva organização criminosa, de coação ao curso do processo e de lavagem de dinheiro, e que a liberdade dela representa risco à ordem pública, à ordem econômica e à regularidade da instrução processual (dada a possibilidade concreta de que interfira na produção de prova)”, argumentou o MPSC.

Maria Emilia acabou sendo solta dias depois sob regras como a proibição de manter contato com os demais investigados, testemunhas e colaboradores (…) sejam familiares ou representantes legais); b) proibição de ingressar na Prefeitura de Bela Vista do Toldo; c) proibição de contratar com o Poder Público, em qualquer esfera, por si ou por interposta pessoa; d) proibição de alienação de bens, seus ou de terceiros, a não ser aqueles próprios essenciais para o sustendo da família, mediante prévia autorização judicial; e) e monitoramento eletrônico.

Maria Emilia volta ao Tribunal ainda neste mês de novembro para uma nova avaliação judicial e pode ter essas regras relaxadas, porque o advogado da primeira dama nega a participação dela “em qualquer plano que visasse causar mal grave a quem quer que fosse, bem como, não tem nenhuma participação em delitos que estão sendo apurados, conforme será demonstrado no andamento do processo”.

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil