Mafra(SC), Segunda-Feira, 24 de Janeiro de 2022 - 11:30
22/12/2021 as 21:18 | Por Assessoria |
Câmara de Vereadores de Mafra realiza a devolução de R$ 4 milhões à Prefeitura
Amplo trabalho de redução de custos e de eficiência de gestão garantiu bom desempenho da gestão Dircelene
Fotografo: divulgação
Entrega do montante ao Maas-sbcsul.22.12.21

Câmara de Vereadores realiza a devolução de R$ 4.263.306,88 à Prefeitura
 

Ano

Recebido

Despesas do Ano

Devolvido

2021

R$ 6.988.579,92

R$ 2.774.605,05

R$ 4.263.306,88

2020*

R$ 5.499.999,96

R$ 2.832.589,86

R$ 2.667.410,10

2019

R$ 4.756.365,00

R$ 3.495.298,06

R$ 1.261.066,94

2018

R$ 4.756.365,00

R$ 3.170.266,25

R$ 1.586.098,75

2017

R$ 4.081.179,60

R$ 3.126.205,68

R$ 954.973,92

* Ano de atividades reduzidas (Home Office, sessões online)
 
Os valores repassados ao Poder Executivo Municipal, no ano de 2021.
 
28/05/2021 – R$ 21.000,00
18/10/2021 – R$ 1.700.000,00
15/12/2021 – R$ 2.000.000,00
17/12/2021 – R$ 492.974,84
17/12/2021 – R$ 49.332,04 (Rendimentos Financeiros)
 
Nesta sexta-feira, 17, a Câmara Municipal de Vereadores de Mafra realizou a devolução de recursos financeiros para a Prefeitura Municipal, o valor total foi de R$ 4.213.974,87, sendo que a presidente da Câmara Dircelene Dittrich Pinto (PODE), fez a entrega simbólica na Prefeitura. A devolução de recursos que a Câmara vem fazendo ao município neste último ano é possível graças a um amplo trabalho de redução de custos e de eficiência de gestão, com revisão de contratos, licitações transparentes e sistemas para modernização das atividades parlamentares.
 
 
Como funciona o Repasse de recursos do Legislativo para o Executivo
 
 O princípio da separação e da harmonia entre as funções estatais remete à autonomia dos respectivos poderes, que requer, dentre outras condições, recursos financeiros suficientes para o desenvolvimento das suas atividades.  Em nível municipal esta relação ocorre entre o Executivo e o Legislativo, o primeiro com a obrigação constitucional de fazer os repasses mensais necessários para o funcionamento da Câmara Municipal.
 
A Constituição passou a utilizar a expressão “duodécimos”, representando a fração proporcional e constante a ser repassada mensalmente pela Prefeitura à Câmara Municipal, até o dia 20 de cada mês. O não repasse até esta data estipulada ou o repasse inferior à proporção oriunda da proposta orçamentária representa, perante a Lei, crime de responsabilidade pelo Prefeito Municipal.
 
 No entanto, a Câmara Municipal pode fazer, a qualquer tempo, a “devolução” de recursos que não forem utilizados no decorrer do ano. E tem a obrigação de fazer ao final de cada ano, no término do exercício financeiro, a devolução dos recursos do saldo para a Prefeitura Municipal.

 

 

 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil