Mafra(SC), Quinta-Feira, 30 de Junho de 2022 - 05:05
23/06/2022 as 00:05:30 | Por Sinval Campelo |
Caíque Mafra diz que foi agredido em evento do PT mas há controvérsias
Veja o que aconteceu e as declarações do pré-candidato republicano nas redes sociais -entenda o caso, em vídeo
Fotografo: divulgação
Mafra e seus assessores-sbcsul.22.6.22

É ou não é...é hora de aparecer  e fazer show nas redes sociais e o candidato a vereador de São Paulo não eleito, e agora pré-candidato a deputado estadual, Caique Mafra Barbosa,  identificado por Caíque Mafra, bolsonarista de 28 anos, teve seus minutos de fama ao invadir o evento do PT e aliados na manhã de  terça-feira (21), no centro de São Paulo. Após o episódio e de ser levado à Delegacia de Polícia, ele conta nas redes sociais a sua versão da história. Ele nega que invadiu e diz que entrou no evento por convite e que teria sido agredido por seguranças do ex-presidente e acusa a imprensa em especial o jornalismo da JovemPan de distorcer os fatos.

Lula discursava quando Caíque entra em cena e grita "vai voltar para a cena do crime, Alckmin?", referindo-se a um posicionamento de Geraldo Alckmin em 2017, onde ele disse que “depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder. Ou seja, meus amigos: ele quer voltar à cena do crime”. O invasor também diz que Lula é ladrão e corrupto, e foi retirado pelos seguranças do evento e ninguém se feriu, segundo o noticiário nacional. O filiado ao Republicanos ostenta 205 mil seguidores em suas redes sociais e diz que ele e outros dois colegas foram agredidos em uma outra sala diferente da onde se realizava o pronunciamento de lideranças do PT.

Esta não é a primeira vez que evento partidário envolvendo Lula sofre invasões e  manifestações de pessoas contrárias, tanto é que o diretório nacional do PT  teme pela vida do pré-candidato petista e tem reforçado a segurança de Lula e seus guarda-costas andam com submetralhadoras e Lula não entra em locais fechados que não tenham detectores de metais.

No Twitter onde o pré-candidato republicano fez suas postagens logo após o ocorrido e em outras redes sociais em que o episódio é exposto ele se refere que foi ele que interrompeu o discurso de Lula e questionou Alckimin, mas não comenta sobre agressões sofridas. O candidato a  vereador de São Paulo não eleito, cita :  Sim, fui eu. Questionei o corrupto do Lula e o Alckmin por sua fala e também chamei o corrupto de corrupto. 24h depois, Caíque Mafra posta vídeo no Instagran falando sua versão sobre o ocorrido, comentando agressões.Acompanhe as duas manifestações :

Assista:

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil