Fotografo: divulgação
...
Reunião polêmica-sbcsul-13-03-19

 
"Senhor presidente da Camara, deu empate 6 x 6 e a decisão é sua, o voto de minerva " - anuncia a vereadora Claudia Buss colocando o presidente da Mesa Diretora do Legislativo mafrense, Valdir Sokolski (PSB) "de saia justa" na sua primeira tomada de decisão como líder da Câmara.
 
 
-Eu voto pelo projeto favorável ao ponto facultativo e não pelo feriado do dia 19 de março , disse Valdir Sokoslki, depois de olhar bem para o grupo de empresários que se fazia presente no plenário, sepultando a expectativa de trabalhadores que se projetavam para desfrutar de mais um feriado e dando alivio para classe empresarial que diz ter prejuízos com a sequência de feriados.
 
 
Entenda o caso polêmico
 
Em 8 de agosto de 2018, o vereador Adilson Sabatke (PP) entrou com projeto instituindo dia 19 de março, dia do Padroeiro da Cidade, São José, como feriado municipal alegando que em cidades vizinhas a data do padroeiro é sempre feriado. Por 20 anos essa data é ponto facultativo em Mafra (faz feriado quem quer). O prefeito em exercício, Vicente Saliba (PDT), em janeiro deste ano sancionou o Projeto de Lei 4/2019 e tornou oficial o dia 19 de março feriado municipal. 
 
 
A polêmica começou quando a notícia se espalhou e lojistas e empresários pressionaram vereadores para reverem a lei. Na tarde de segunda, o vereador Adlson Sabatke entra com projeto revogando a lei do feriado e tornando o dia 19 ponto facultativo, de novo.
 
-Projeto entrou na tarde de hoje...está nos expondo ao ridículo...faço parte das comissões da Câmara e esse projeto não passou, não entrou, não tem pareceres...cadê o parecer...-questiona o vereador Edenilson Scherbauer. 
 
 
_ Como presidente da Comissão de Constituição e Justiça, eu dou meu parecer verbal agora pela legalidade do projeto e favorável pelo ponto facultativo, revogando a lei- cita o vereador Cirineu Corrêa Cardoso.
 
 
-Quero ouvir os votos dos outros da comissão, Dimas e Joãozinho - retruca Scherbauer. e sargento Cirineu bate- o senhor (Scherbauer) também é autor do projeto, votou pelo feriado no ano passado. 
 
 
-O senhor (Cirineu) tá perdido...- pontua Scherbauer. - Eu não estou pedido, me respeite, diz Cirineu.
 
-Cirineu, Presidente da Comissão...e dá um voto verbal, cadê a ata...?- agita o vereador Abel Bicheski (Bello), afirmando que  não era a "toque de caixa" que uma lei seria revogada. Mas foi ! Votaram contra o feriado os vereadores, Marise Valério (MDB), Claudia Buss(PTB), Cirineu Corrêa (PDT), Vanderlei Peters (Vande da Farmácia-PDT), Marcos Witt (Witinho-PDT), Adilson Sabatke (PP) e Valdir Sokolski (PSB), Todos eles haviam sido favoraveis ao feriado desde que começou a tramitar na Cãmara em agosto de 2018. 
 
O feriado municipal foi defendido pelo sindicalista Fernando Camargo,  do Sindicato dos Comerciários,  que disse que ficou sabendo da reunião da Câmara para revogar o feriado horas antes dela ocorrer, pelo vereador Schelbauer.
 
-Não sabiamos desta reunião..., sabiamos que havia sido decretado feriado em Mafra, o que é justo, porque muitas mães terão que trabalhar nesse dia e não terá escola, nem creches abertas para deixarem seus filhos  e nós do Sindicato viemos aqui defender os direitos dos trabalhadores- disse Camargo, ao SBCSul.
 
Do ponto contrário estava Lourival Sá Ribas Jr, que argumentou sobre os prejuízos economicos que mais um feriado iria causar aos comerciantes e empresários do município acarretando em mais desemprego e menor arrecadação de impostos por parte do município.
 
- Temos entidade empresarial com 365 associados, com média de 10 funcionários e multiplique por três por família...(justificando que são muitas pessoas envolvidas) ...por que brigar por um dia de feriado?.. se nós fecharmos o comércio e indústria, a cidade vizinha  vai abrir e faturar mais..., agora, na missa do padroeiro será que vocês vereadores vão estar lá? eu vou estar e vou levar uma livro de presença...- argumentou Sá Ribas. O empresário usou a tribuna e disse ao SBCSul que achava dificil o feriado ser revogado devido ao curto espaço de tempo de mobilização  da classe, mas sua argumentação foi forte e obteve êxito, mesmo por um voto, do presidente Sokolski.
 
 
Redes Sociais
 
O mafrense desejava na sua maioria, pelo que parece,  o feriado municipal e logo que a notícia se espalhou na manhã desta terça-feira, 12, de, que havia sido revogado, uma enxurrada de crticas foram postadas contra os vereadores, desde dizeres de "vendidos", "covardes", "sem carater" e outros adjetivos pesados e de baixo calão foram utilizados para demonstrar insatisfação pela revogação do feriado dia 19 de março. 
 
O que disseram os vereadores
 
Dimas Humenhuk (PTB) - por mim não teria nem ponto facultativo, direitos iguais ...se o funcionário público tem feriado o trabalhador também deveria ter, ou nenhuma classe deveria ter folga. Voto pelo feriado porque o município merece.
 
Claudia Buss (PTB)- sou a favor dos trabalhadores, mas fico dividida porque neste momento de crise econômica está complicado...temos que ter humildade de rever posição! A própria igreja não celebra o dia do padroeiro na data e sim no domingo. Voto contra o feriado.
 
Eder Gielgen (MDB) - mudar voto sobre pressão...eu não! eu voto por manter o feriado e depois discutir se revoga ou não. Voto a favor do feriado.
 
Marise Valério (MDB) - considerar que a própria igreja reconhece (necessidade de trabalhar) e ela celebra o dia do padroeiro no domingo...e já são 20 anos que tem ponto facultativo...o projeto discutido no ano passaso e eu sou humilde em rever posição e retornar como era, dia 19 de março apenas ponto facultativo. Voto contra o feriado.
 
Bello (SD) tudo é questão financeira..., quando nascemos não temos nada e quando morremos também....eu vejo que colono nao tem folga nos feriados, mas eu vejo que estamos liberando o feriado por pressão de comerciantes, mas funcionários públicos terão ponto facultativo... e os direitos deveriam ser iguais...infelizmente eu vou votar contra esse novo projeto, porque não é justo proteger uma classe de funcionários públicos e deixar outros de lado. Voto a favor do feriado.
 
Sgto.Cirineu  (PDT) -  Discussão infantil foi essa sobre posicionamento das comissões...meu voto é consciente e eu não voto por pressão...Voto contra o feriado.  
 
Joãozinho (PSD) -  nao li o projeto e respeito os empresários, mas eu voto pelo feriado municipal. 
 
Wittinho (PDT)  reapeito sindicato e empresários e resumo que o Brasil vive transição política, um novo jeito de governo, com pontos positivos e negativos. Defendendo a geração de empregos, novas empresas...e  olhem, eu  fui funcionário , estive dois lados...não estamos tirando o direito do trabalhador...foi criado expectativa do feriado pelos trabalhadores, mas tem empresários em condições financeiras complicadas..todos trabalhadores tem direitos...e em respeito ao dia 25 de julho, dia do colono e de  São Cristóvão, que não é feriado nacional...caminhoneiros e trabalhadores rurais que não vão folgar no feriado...em respeito a essas categorias, eu tenho a coragem de votar contra o feriado. 
 
Schelbauer (PSB) - Já foii sancionado pelo prefeito em exercício na epoca..e seria estender o ponto facultativo para todos. Da forma como está este novo projeto revogando a lei, no atropelo, não tenho como votar favorável... no meu parecer deve-se cumprir sem mexer a lei do feriado...eu sou pelo projeto original. Voto pelo feriado.
 
Adilson (PP)- discussão democrática e eu sou autor do projeto do dia de feriado, mas reconheço que o melhor é manter o ponto facultativo em vez do feriado municipal. Voto contra o feriado.
 
Vande da Farmácia (PDT)  - Voto consciente, não está fácil manter o emprego. Voto contra o feriado. 
 
Elcion do Hospital (PSD) feriado é justo, por questão religiosa e pelo direito do trabalhador, se funcionário público tem direito de folga no dia 19 de março, o trabalhador também deveria ter. Voto pelo feriado.
 
Valdir Sokolski (PSB) - eu voto pelo ponto facultativo e não pelo feriado.