Fotografo: divulgação
...
Chuva atrapalhou-sbcsul-1-9-19

A seleção brasileira feminina entrou em campo mais uma vez pelo Torneio Internacional no Pacaembu, agora valendo o título contra o Chile. Mas uma chuva torrencial que atingiu a cidade de São Paulo bem na hora da partida prejudicou um pouco o futebol em campo. A técnica Pia Sundhage mudou bastante a escalação em comparação com sua estreia na quinta-feira e fez testes em várias posições. O primeiro tempo acabou em 0 a 0 e sem muito brilho por conta da dificuldade das poças no gramado, e a etapa final teve algumas chances, mas também terminou sem alterações no marcador.

Restou a disputa de pênaltis para definir o campeão do torneio. O Brasil desperdiçou quatro cobranças, e as chilenas acabaram campeãs, mesmo após atuação incrível da goleira Aline Reis, que defendeu três penais do Chile prolongando a decisão.

 

O time que foi a campo teve Aline; Fabi, Bruna Benites, Monica e Joyce; Formiga, Aline Milene, Andressa Alves e Debinha; Bia Zaneratto e Millene. Ainda no primeiro tempo, Pia trocou Debinha por Ludmila e na etapa final substituiu Aline Milene e Millene para as entradas de Luana e Chú Santos. Já na metade do segundo tempo, Pia colocou Raquel no lugar de Andressa Alves. O nível do futebol em campo no primeiro tempo foi bastante prejudicado pel pela quantidade de água que caía no Pacaembu.

 

Diante de muita chuva, as jogadoras dos dois times tinham dificuldade para colocar a bola no chão e trocar passes. O Brasil teve duas chances de gol, uma com Bia Zaneratto em chute de fora da área, outra com uma cabeçada de Formiga que chegou a entrar, mas o gol acabou anilado pela arbitragem. Do lado chileno, houve poucas chances também, apenas uma que obrigou boa defesa da Aline em cabeçada de Torrealba no alto.

A dificuldade da seleção aconteceu também porque o Chile fechou bem os espaços e dificultou a troca de passes curtos que funcionou bem contra as argentinas na construção de jogadas para o ataque. Em contrapartida, as chilenas também não ofereceram grandes riscos para o Brasil, que anulou bem as tentativas das adversárias de avançarem na área.

Nos pênaltis, Raquel perdeu a primeira cobrança, Luana perdeu a quinta e Bruna Benites e Joyce também desperdiçaram. Mônica, Chú Santos e Bia Zaneratto e Fabi Simões fizeram. A goleira Aline Reis defendeu três cobranças, incluindo a da gigante chilena, Christiane Endler, mas não foi o suficiente para garantir o título para o Brasil. A pequena arqueira, de apenas 1,63m de altura, foi gigantesca e vibrou muito a cada defesa – saiu completamente ovacionada pela torcida. Mas as quatro cobranças desperdiçadas pelas jogadoras brasileiras acabaram deixando o título com as chilenas.