Fotografo: divulgação
...
Edenilson Schelbauer-4-9-19

É OU Não é...já de tempos, desde o inicio do segundo semestre de 2016, que o vereador Edenilson Schelbauer (PSB) vem contestando a gestão do prefeito Wellington Bielecki (PSD), com episódios de tarifas da Cosip e votação do projeto que liberaria a Prefeitura à firmar empréstimo com o BNDS para financiamento do asfalto da Estrada do São Lourenço. No primeiro caso, produtores rurais ao receberem a cobrança da taxa de iluminação pública “esperniaram” se revoltaram e cobraram do Legislativo uma explicação  e, na ocasião, quem era o presidente da Câmara era Edenilson Schelbauer que disse que o projeto era do Executivo e que seu posicionamento era contrário a cobrança. Executivo alegou demagogia por parte de Scherbauer alegando que, se ele achava que não deveria ser votado o projeto, mesmo sendo legal e recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), sendo ele presidente, Schelbauer poderia ter deliberado pela não votação.  

No segundo caso, mais polêmico, Schelbauer alegou desconhecimento da destinação de R$ 10 milhões, que o executivo requeria a autorização pela Câmara para que a Prefeitura fizesse esse empréstimo. Apenas Schelbauer votou contrário e depois, essa decisão se tornaria uma dor de cabeça pra ele, porque o Executivo usou essa “arma” para derrubar o opositor nas redes sociais, colocando Schelbauer como vilão perante a comunidade do São Lourenço.

E Schelbauer tem puxado um “disk me disk” nos seus pronunciamentos na Câmara contra o prefeito, mas sem uma prova cabal que pudesse gerar uma CPI. Exceto no caso de compra de toldos por parte da Secretaria de Educação, mas a denúncia não se sustenta porque a compra não foi efetuada, nenhum contrato foi assinado pela Prefeitura com qualquer fornecedor e, Schelbauer só ficou na tentativa de denuncia de superfaturamento, uma vez que, não havia valores envolvidos e nenhuma assinatura.

Agora, este confronto pitoresco entre a base governista e o opositor Schelbauer  teve um desfecho inusitado. Ele entra com atestado médico por 15 dias, para não perder seus vencimentos do mês, alegando tratamento de saúde e ao assumir o suplente, Sergio Severino , o conceituado  advogado Serginho, na sessão de terça-feira, 3,e já de primeira o seu posicionamento foi totalmente contrário ao que vinha sendo feito pelo titular da cadeira, Schelbauer. Serginho disse que o município estava em boas mãos e graças ao prefeito Wellington Bielecki, Mafra pôde ter geração de emprego e renda. E disse isso com todas as letras, colocando por terra toda oposição que o titular da cadeira vinha fazendo até então.