Fotografo: divulgação
...
Seu Jucá in memória-sbcsul17.8.20

O saudoso “seu Juca” (José de Souza Poly), que faleceu em dezembro de 2017, foi radialista, apresentador de programa de auditório denominado Carrossel, no qual revelava talentos locais; foi relações públicas e assessor de imprensa do município na década de 1970, além de mestre de cerimônias de inúmeros eventos e será homenageado por iniciativa do vereador Adilson Sabatke (DEM) com o a denominação de seu nome para uma rua no Vila Nova.
 
 
A rua fica no loteamento Vila Verde II, iniciando no lado ímpar da rua Benemérito José Pscheidt e seu término no lado par a rua Benemérito Wilson Mendes no bairro Vila Nova com largura de 14 metros.
 
-Está é uma forma de reconhecimento para a família e de homenagem para um cidadão que contribuiu tanto ao município. Além disto, a denominação ajuda na localização da via para serviços de correio, entre outros - segundo o  vereador Adilson Sabatcke.
 
 
Homenageado
 
José de Souza Poly completaria dia 17 de julho de 2020 seus 80 anos de alegria de viver. Nascido em Guarapuava – PR em 1940, residiu nas cidades de Imbituva, Araucária, Paranaguá, Curitiba e Mafra.
 
Filho de Romeu Poly e Isabel de Souza Poly, teve 6 irmãos. Foi um homem, acima de tudo, amoroso; amava as pessoas e os animais, amava cantar e estar junto dos amigos e família.
 
Teve uma infância economicamente difícil, mas rica de brincadeiras e convívio familiar.
Em 1958 serviu ao Exército no município de Curitiba, na 5º Companhia de Comunicações Blindada, no bairro Portão. Em 1962 casou-se com Marly Helena Poly, com quem teve 3 filhos e 5 netos.
 
Por demonstrar grande talento para a comunicação, foi radialista, apresentador de programa de auditório denominado Carrossel, no qual revelava talentos locais; Foi relações públicas e assessor de imprensa do município na década de 1970, além de mestre de cerimônias de inúmeros eventos.
 
Escolheu Mafra para viver e compartilhar seu espírito criativo, irreverente, alegre e comunitário. Viveu ativamente a política mafrense e nacional, sua comunidade defendendo os interesses e necessidades dos cidadãos mais humildes, encaminhando adequadamente aos órgãos responsáveis quando necessário. Exercia o papel de vereador com maestria e amor, mesmo sem nunca haver sido.
 
Em 10 de dezembro de 2017, seu Juca, como era comumente chamado, foi por Deus reivindicado, deixando para esposa, filhos, netos, irmãos e amigos um legado de luta pelos direitos dos mais humildes, de alegria de viver a vida que nasce para o recomeço diário, amor pela liberdade que faz com as diferenças mostram a beleza e o encanto da diversidade e pluralidade dos modos de pensar e viver, da compaixão, sentimento este que os torna mais humanitários e zelosos uns dos outros.