Fotografo: divulgação
...
Rua Felipe Schmidt -Mafra-sbcsul-6-4-20

 
Está em vigor a portaria assinada pelo  governador  de Santa Catarina, Carlos Moisés, no domingo (5), permitindo o funcionamento de diferentes atividades como salões de beleza e clínicas da área da saúde, o que já vinha sendo realizado mesmo em tempo de quarentena, com restrições de quantidade de pessoas nos locais. Apartir de desta segunda-feira, 6, escritórios de advocacia e de contabilidade vão poder abrir e outros profissionais liberais e autônomos vão poder voltar à suas atividades  mantendo distanciamento seguro, técnicas de higienização de ambientes e pessoal, além de uso de equipamentos de proteção individual e atendimentos individuais.
 
O retorno das atividades, no entanto, deve seguir uma lista de regras que foram estabelecidas pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), dirigida pelo secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, assim como ocorreu com as áreas que já voltaram a funcionar, como a da construção civil, dos corretores de imóveis e da autorização para lojas que vendem chocolate. Também estão permitidos, desde o início do decreto, os serviços essenciais, como as áreas de saúde, alimentação e segurança.
 
O estado decretou situação de emergência e está em regime de quarentena, com medidas de isolamento e restrição social. Santa Catarina tem 379 casos de Covid-19 e dez mortes ocorridas pela infecção, segundo dados divulgados na noite de domingo.
 
A medida inclui profissionais autônomos e liberais da saúde, tais como médicos, veterinários, fisioterapeutas, biomédicos, psicólogos, enfermeiros, fonoaudiólogos, farmacêuticos e nutricionistas.
 
Terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos, cabeleireiros, barbeiros, pedicures, manicures, depiladores, massagistas e podólogos, também estão autorizados ao retorno dos trabalhos.
 
A flexibilização inclui ainda profissionais de áreas gerais, entre eles advogados, contadores, administradores, jardineiros, cozinheiros, limpadores de piscina, faxineiros, empregados domésticos, encanadores, entre outros.
 
Desta forma, ficam autorizados a funcionar estabelecimentos como clínicas, consultórios, serviços de diagnóstico por imagens, serviços de óticas, laboratórios óticos, serviços de assistência e prótese odontológica e escritórios em geral.
 
 
Continua a proibição
Locais de grande aglomeração de pessoas como shoppings, academias e o comércio em geral, conforme o decreto, ficam proibidos de funcionar. Igrejas não há indicação. Restaurantes e pizzarias atuam com entrega de refeição ao seus clientes à domicilio. 
 
Ainda de acordo com a portaria, em caso de teste positivo para a Covid-19 ou da apresentação de sintomas da doença, o profissional não poderá realizar atendimento, devendo permanecer em isolamento.