Cidadão Repórter

(47)997532591
Mafra(SC), Domingo, 07 de Março de 2021 - 01:46
19/02/2021 as 13:05 | Por Redação | 228
Prefeito de SBS abre investigação contra ex-secretário da saúde
Médico Del Olmo é alvo de ataques pelo prefeito Tomazini
Fotografo: divulgação
Manuel Del Olmo-sbcsul.19.02.21


È ou não é...o prefeito de São Bento do Sul e médico Antonio Tomazini (PSDB) disse que, “não está fazendo a operação - caça as bruxas”, contra secretários e pessoas envolvidas no governo anterior e quer apenas ver, de forma transparente, quem é quem na atual administração e se houveram erros por servidores concursados ou comissionados na gestão do prefeito Magno Bollmann (PP), ele quer apuração e que sejam penalizados, independente de ser opositor a ele ou não – segundo Tomazini!

 

 

Nesse sentido, já está determinado a abertura de Processo Administrativo Disciplinar para apurar um suposto descumprimento de jornada de trabalho por parte de um dito opositor político e também médico da rede pública de saúde, Manuel Del Olmo, que também foi secretário de saúde, no governo Magno.

 

Segundo Tomazini, Del Olmo teria sido o único profissional da área a não ter sido investigado pela comissão processante que apurou falhas na gestão do ex-prefeito do PP. Del Olmo também teria sido poupado, tendo sido deixado de lado, na denúncia que a Polícia Civil investigou em fevereiro do ano passado, 2020, sobre conduta de favorecimento a determinadas pessoas no atendimento do SUS, o chamado “fura-fila”, conforme notícia veiculada pelo Jornal AGazeta de SBS.  O caso é polemico, mas o atual prefeito de São Bento do Sul diz que, não é uma operação – caça as bruxas ! A  sindicância contra Manuel Del Olmo tem  30 dias para ser concluída, já o processo administrativo o prazo é de 60 dias, prorrogáveis por mais 60.

 

Manuel Del Olmo declarou à imprensa local de SBS,  que os processos abertos pela gestão passada deram-se devido a solicitação da Polícia Civil, quando foram encaminhadas as informações dos profissionais e atividade naquele período de 2018, ou seja, ele diz que sempre esteve aberto e cooperando com as investigações da PC.

 

"Profissionais que tiveram seu contrato expirado antes da solicitação da PC, assim como os que se exoneram ou se aposentaram antes da instalação do PAD, não foram incluídos. De fora ficaram muitos profissionais, alguns do círculo próximo ao prefeito atual", cutucou. O ex-secretário enfatiza que a investigação partiu da Polícia Civil, e não da Secretaria de Saúde. "A instauração dos processos pela Prefeitura se deu de maneira independente e concomitantemente com o da Polícia Civil. Há casos inclusive de indiciamento pela Polícia Civil que não tiveram processo pela Prefeitura", disse Del Olmo, conforme relato pelo Jornal AGazeta.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil