Fotografo: divulgação
...
Nahum Zaine-sbcsul-15-01-20

É OU Não é...diz a letra de uma música do grupo Capital Inicial – se não faz sentido..., discorde comigo, não a nada de mal...Então, desde que o nome do empresário Antônio Nahum Zaine (PTB) proprietário das lojas Zaine e também de outros negócios na cidade de Mafra, Rio Negro e Canoinhas, deixou de ser citado em colunas sociais de jornais e passou a transitar nas colunas de política, ocorreram certas mudanças em posicionamentos de lideranças partidárias do município. Uma projeção tímida, que todos diziam que era balão de ensaio, do tipo que se lança para ver no que dá, mas sem nenhum objetivo concreto...pois bem, a pré-candidatura do empresário Nahum à prefeito de Mafra criou corpo e está ocupando espaços deixado por outro empresário e ex-vereador - Hebert Werka (PSB).

 

Na mira de Nahum para formação de um grupo forte capaz de disputar e ganhar a eleição municipal que se avizinha em outubro deste ano, primeiramente estão relacionados lideranças de bairros e vereadores a serem filiados. Hoje o PTB tem dois vereadores nesta legislatura, são eles - Dimas Humenhuck e Claudia Buss. Claúdia que já foi líder de governo na Câmara, tem votado a favor dos interesses do governo municipal, já Dimas tem sido o oposto. O que se projeta agora em 2020 é que o prefeito Wellington tenha dois petebistas votando em união, provavelmente em oposição ao atual governo municipal.

Eleições e empresários

O número de empresários eleitos prefeitos no 1º turno saltou de 700, há quatro anos, para 828, nas últimas eleições. O aumento de 128 representantes foi o maior entre todas as profissões, indica levantamento feito pelo  Repositório de Dados Eleitorais do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

 

Movidos pelo sucesso de João Doria (PSDB) que conquistou a prefeitura de São Paulo e dois anos depois foi eleito governador do mesmo estado,o número de empresários se lançando na política vem crescendo e hoje equivale a 15% do total de eleitos para os Executivos municipais. Em 2012, a taxa de empresários entre os eleitos era de 12%.

 

O patrimônio entre os candidatos à Prefeitura, está fazendo a diferença. Por exemplo, o tucano Dória doou R$ 2,9 milhões do próprio bolso para a sua campanha, superando assim a arrecadação dos concorrentes. Com uma corrente nas redes sociais, liderada pelo presidente Bolsonaro de que, o eleitor não deve votar em candidato que utilize o fundo eleitoral para promoção de sua campanha política, quem vai acabar saindo na frente e lucrando dividendos nas urnas com essa medida  são mesmos os empresários, os quais dispõe de capital próprio para a disputa, porque aos olhos do eleitor parece que a classe empresarial não está atrás de uma posição política que lhe garanta um bom salário por 4 anos e sim, de fazer algo pelo municípío para que ele cresça independente de valores a serem recebidos sendo ele o prefeito.