Fotografo: divulgação
...
Idosos com mais de 60-sbcsul-24-03-20

O prefeito de Mafra, Wellington Bielecki, traçou uma linha estratégia com a secretária de Saúde, Jaqueline Previatti Veiga para que o menor número de pessoas acima de 60 anos não saia de casa e divulgou vídeo nas redes sociais informando que, agentes e servidores da saúde irão na residência onde os idosos estiverem para aplicação da vacinação contra a gripe H1N1, H3N32, A e B - influenza.

A campanha estava prevista para iniciar em abril, mas foi antecipada pelo Ministério da Saúde como uma das medidas preventivas de enfrentamento ao novo coronavírus (COVID-19). Por esterem em grau de alto risco com relação ao coronavírus, Wellington Bielecki determinou que fosse ministrada a vacina aos idosos em suas moradias.

 

-Não precisa se delocarem até o posto de saúde para tomar a vabina, nós vamos até vocês. Evita filas e fica mais comodo e seguro para todos - enfatizou o prefeito Wellington Bielecki.

 

Nesta primeira etapa, devem ser vacinados somente idosos e profissionais da saúde. Como a orientação é evitar aglomeração, a fim de mitigar a propagação do COVID-19, os municípios já foram informados para estruturarem suas vacinações em lugares arejados. Mafra optou por realizar a vacina na casa dos idosos.

 

A vacinação não imuniza a população do COVID-19.

 

A orientação da Secretaria Estadual de Saúde é para que as prefeituras providenciassem  locais com totais condições de dar segurança aos idosos e profissionais para se vacinarem, além de garantir uma distância entre as pessoas para evitar um amontoado de gente no mesmo espaço.

 

O Ministério também enviou aos Estados um documento com a estratégia de vacinação contra influenza e até mesmo contra sarampo, em meio a pandemia. A orientação é que a Secretaria Municipal de Saúde de cada cidade e a rede de serviços de Atenção Primária à Saúde/Estratégia Saúde da Família estabeleçam parcerias com intuições públicas e privadas.

 

Município tem autonomia

 

Devido à instabilidade da logística entre um estado e outro em decorrência do COVID-19 e a capacidade de produção da vacina contra a influenza por parte do laboratório produtor, o Ministério tem fracionado a entrega da vacina por fase da campanha, segundo o público alvo eleito, motivo este, segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da SES-MT, Tatiana Helena Belmonte, que pode impactar na hora da procura pela vacinação.

 

Diante disso, ela pontua que cada município tem autonomia para definir as estratégias de vacinação seguindo as orientações do Ministério.

 

Próximas fases

 

A segunda fase da campanha deve começar no dia 16 de abril e terá como público-alvo os professores das escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clinicas especiais.

 

Na última fase, prevista para iniciar a partir de 09 de maio, devem ser vacinados crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 anos e 59 anos de idade.