Fotografo: divulgação
...
Marcelinho/Bolsonaro-sbcsul.30.07.20

O ato do ídolo do clube não caiu bem entre boa parte dos torcedores, já que Bolsonaro é torcedor do Palmeiras e insultou o Corinthians diversas vezes.

O problema é que Marcelinho nunca havia mostrado ligação ao espectro político de Bolsonaro e já foi, inclusive, ligado ao Partido dos Trabalhadores (PT) há pouco tempo.

Filiado ao partido, chegou a ser deputado como suplente por um mês em 2015.

“Estou vindo para o maior partido da América Latina, o partido que muitos falavam que o Brasil não tinha jeito, e nós vimos a mudança desde que entrou nosso presidente Lula. Estou feliz de integrar a família PT”, disse à Jovem Pan na época de sua filiação.

Candidato a vários cargos políticos desde 2010, disputou diversas eleições em coligações ligadas à esquerda, tanto que também foi filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).

“Foi necessário um operário virar presidente para mudar a história do país. Com ele, milhões de pessoas foram para classe média. Agora, o filho do pobre pode estudar em uma universidade. Não sou puxa-saco, mas a Dilma também está fazendo uma boa administração. O Fernando Henrique Cardoso não mudou nada. O PT conseguiu dar qualidade de vida para o brasileiro”, apontou Marcelinho na mesma entrevista à Jovem Pan.

Jornalista formado, o ídolo do Corinthians apareceu nesta quarta-feira (29) para conversar com Jair Bolsonaro sobre a MP 984, que entrega os direitos de transmissão do futebol no Brasil ao mandante de cada partida.

Filho de Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) compartilhou o encontro do ex-jogador com o presidente.