Fotografo: divulgação
...
Os Serranos-sbcsul.8.9.20

O município de Mafra (SC) completa 103 anos no dia de hoje, 8 de setembro de 2020, e nos últimos seis anos deu uma alavancada em termos de desenvolvimento, com a instalação de algumas empresas de porte, que vieram se instalar no município gerando renda e emprego para milhares de mafrenses e profissionais da região. Entre os destaques estão a empresa alemã de chicotes automotivos Kromberg e Schubert, Grupo Condor, Grupo Germânia, e por último a vinda do Grupo JBS que irá a partir de 2021, colocar em  funcionamento a usina de biodiesel trazendo mais renda e gerando o desenvovimento do agronegócio de Mafra e também do Planalto Norte de SC.

 

Mafra tem o título de Pérola do Planalto Norte  e neste dia 8, devido a pandemia do novo coronavirus, a tradicional Festa das Etnias está suspensa ao público, mas esta edição da 3ª Festa vai ocorrer através de live solidária, com patrocínio do Grupo Condor e participação do Grupo Serranos, a partir das 20h,  e que tem como lema - 3ª Festa das Etnias contra a pandemia -, e doações recebidas serão doadas ao Hospital São Vicente de Paulo que, completou em 2020, 70 anos de existência. Para assistir a live hoje, entre no Canal do YouTube da Rede Condor: www.youtube.com/user/redecondor. Para doar para o nosso hospital, use o QR Code ou o link bit.ly/DoeHSVP.

História

Reprodução do texto de autoria do professor da UnC, Sandro Cesar Moreira

 

A história do município se assenta sobre dois pilares: primeiro na história da construção sociocultural e segundo, na história política.
 
A construção sociocultural do homem mafrense iniciou a 270 anos aproximadamente com a abertura da Estrada da Mata ou então pela denominação mais conhecida: Caminho das Tropas. Por este caminho, não mais que uma vereda rasgando o fechado sertão, chegaram na primeira metade do século XVIII os pioneiros desbravadores bandeirantes e tropeiros paulistas encontrando uma rica cobertura vegetal de araucárias, imbuias, cedros e erva-mate e dentro do sertão os índios Xokleng.
 
Com a consolidação da passagem regular de grupos de tropeiros pela pequena póvoa, conduzindo grande quantidade de animais como gado vacum e mulas de Viamão-RS à Sorocaba-SP, a região além da pecuária começa a despertar para o comércio, quando, as margens do passo do rio Negro do rio São Lourenço e do rio Butiá, pequenas casas de comércio vão se instalando.
 
Desse modo, do encontro do homem branco com a indígena surge um terceiro grupo: o Caboclo, homem de cultura simples de conhecimentos indígenas, mas que teve forte influência sobre os imigrantes chegados no século XIX e início do século XX, como alemães, bucovinos, poloneses, ucranianos, sírios, libaneses e outros que dada as circunstâncias do porte da cobertura vegetal, do constante encontro nada amistosos com os indígenas se aculturam a cultura cabocla para produzir e consolidar a ocupação do espaço. 
 
Assim, o interior da póvoa foi ocupado pelos caboclos, alemães, bucovinos, poloneses e ucranianos que se dedicaram ao trabalho com a terra, limpando a área nos moldes caboclos e desenvolvendo a agricultura.  Paralelo a esta atividade, para negociar com tropeiros, alguns abrem casas de comércio as margens da Estrada da Mata. Estes imigrantes imprimiram e legaram a base econômica da região: a agricultura, a exploração extrativista e a pecuária.
 
Com o extrativismo da erva-mate em grande escala implanta-se no município, no início do século XX, a indústria ervateira, dando a região novo dinamismo econômico.
 
Já os Sírios e os Libaneses ocuparam o centro do pequeno povoado banhado pela bacia do rio Negro, onde abriram pequenas casas de comércio de armarinhos, tecidos, confecções e outros produtos. Foram os pioneiros do comércio e se mantém até os dias atuais. Além de bons comerciantes se destacaram na saúde e na política local.
 
Com relação a história política, o município foi criado pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, pela Lei nº 1147 de 25 de agosto de 1917, ainda segundo a lei: “com sede na cidade de Rio Negro na parte situada na margem esquerda do rio, a qual passa a ter a mesma denominação dada aqui ao município e comarca em virtude do acordo homologado por lei da República nº 305 de 3 de agosto do corrente ano [...]” e a denominação deve-se a homenagem feita ao desembargador Manoel da Silva Mafra que defendeu os interesses de Santa Catarina na questão litigiosa entre PR e SC, mais conhecida por Questão Contestada.
 
E, em 30 de agosto de 1917, a resolução de nº 911 do Governo do Estado de Santa Catarina nomeia o cidadão Vitorino de Souza Bacelar para a superintendência do recém-criado município, e a mesma resolução nomeou para conselheiros municipais os senhores: José Severiano Maia, Wenceslau Muniz, Carlos Schmidt, Florisbal Maia, Adolfo Rickes e Dr. Mathias Piechnick.
 
A área territorial de Mafra estava sob o domínio provisório do Estado do Paraná desde 1853, quando de sua criação, estendendo-se até o ano de 1916 quando fora assinado o acordo de limites entre os dois estados litigantes.
 
E, neste 8 de setembro de 2020 comemoramos 103 anos de sua criação. 103 anos de desenvolvimento econômico e político dos trabalhos legados pelos desbravadores bandeirantes, tropeiros, europeus e árabes, processo que se  estendeu a cultura com instituições de ensino fundamental público e privado. Preocupada com a formação de professores  cria, no inicio dos anos 70, uma faculdade de Ciências e Letras, mas, chega aos 103 anos, com uma  grande Universidade catarinense a UnC – Universidade do Contestado, que além da formação de professores também forma Médicos, Fisioterapeutas, Enfermeiros, Advogados, Administradores, Psicólogos, Mestres, Doutores e tantos outros profissionais.
 
Um grande amigo Vicente Telles, já falecido,historiador e poeta em uma de suas visitas a Mafra escreveu: “Cidade de Mafra...Ostenta uma Cruz....Uma Cruz que seduz... Uma luz que produz... Paz e Amor -  Amor febril.... Do Monge São João Maria... O Profeta do Brasil.... Cruz abençoada....Onde eu vou rezar....Quem vem rezar quer ficar.... Quem já rezou quer voltar”.
 
Parabéns ao nosso querido município de Mafra! Nosso grande orgulho! Nossa construção!