Fotografo: divulgação
...
Daniela Reinehr (PSL)-sbcsul-03-09-19


A vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr (PSL) vem evitando comentar as críticas que vem recebendo em rede social por ela estar se beneficiando de uma residência paga pelo Estado em função do cargo que ocupa.  

Em seis de governo, a moradia da vice-governadora gastou R$ 292 mil de dinheiro público, cerca de R$ 60 mil por mês. Nenhum outro estado brasileiro, com exceção de Santa Catarina e Maranhão,  mantém  o custeio de residência  para seu vice-governador. Além do mais, dos 27 estados, apenas 8 residências de chefes de estado são bancadas com dinheiro dos cofres públicos. São eles governadores de Santa Catarina (PSL), Rio Grande do Sul (PSDB), Rio de Janeiro (PSL), Bahia (PT) , Maranhão (PCdoB), Ceará (PT), Rondônia (PSL) e Goiás (DEM).

 

Os gastos com a vice-governadora do PSL

O gasto público semestral com a moradia de Daniela Reinehr foi calculado através da prestação de contas feita no Portal da Transparência. A residência oficial é uma casa de alto padrão, avaliada em mais de R$ 1,1 milhão e localizada no bairro Itaguaçu, área Continental de Florianópolis.

A segurança da vice-governadora, inclusive de sua moradia, é feita por uma equipe de 14 policiais militares, o que representa um gasto mensal que ultrapassa R$ 112 mil em salários.

 

A zeladoria da casa foi o item que mais custou dinheiro público: R$ 167 mil, apenas no primeiro semestre do ano. Com cozinheiro, foi gasto mais de R$ 31 mil, e os serviços de jardinagem custaram R$ 19 mil do cofre do estado.

 

Segundo informações apuradas pelo Jornal Notícias do Dia, 11 funcionários trabalham na residência, com salários que vão de R$ 3.598 à R$ 10.400.

As despesas com zeladores, motoristas, cozinheiros, jardineiros, zeladores, telefonistas e serventes são todas terceirizadas por duas empresas, a Orcali Serviços Especializados Ltda e a Costa Oeste Serviços de Limpeza Ltda.

 

 Segundo informações do Diário do Centro do Mundo,  a Orcali é uma das empresas denunciadas como participante dos esquemas de desvio de recursos públicos que estão sendo combatidos pela Operação Alcatraz, da Polícia e Receita Federal em Santa Catarina.

 

A Operação Alcatraz foi deflagrada em maio, e visa combater fraudes em licitações e desvios de recursos públicos por meio de contratos de prestação de serviço de mão de obra terceirizada firmados com órgãos do governo de Santa Catarina. Mais de 20 pessoas foram denunciadas à Justiça e 17 já viraram réus em processos criminais.

 

O Que Diz o Governo...

Em nota, o Governo de Santa Catarina se pronunciou sobre o caso e afirmou que “o uso da residência oficial da vice-governadora é uma prática estatal desde a compra do imóvel, em 1979, e foi utilizado desde então por cerca de 10 vice-governadores”.

 

O comunicado também informa que os gastos com a residência oficial e a representação estão menores do que nas gestões anteriores. “Se for observado apenas o valor nominal de cada exercício, sem considerar a inflação do período, os valores atualmente dispendidos para representação oficial representam 29,6% sobre a média das duas últimas gestões. Quanto à manutenção da residência oficial, o valor atual representa 48% desta mesma média”, justifica a nota.

 

Fonte: Jornal do Dia, Uol, Jornal Notisul