Fotografo: divulgação
...
Quadra vazia-sbcsul.23.08.20

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) publicou portaria na sexta-feira, 21, determinando a continuidade da suspensão de atividades esportivas coletivas de caráter amador recreativo para conter a disseminação da Covid-19. A medida vale principalmente para coibir a abertura de quadras e campos de futebol society.

 

A portaria 626 leva em consideração os decretos anteriores e que norteiam as ações de enfrentamento à pandemia e, principalmente, os dados apontados pela Matriz de Avaliação de Risco e que apontou a falta de distanciamento social como um dos principais fatores para a disseminação da doença e aumento do número de infectados.

 

 

Reação de internauta mafrense reage após publicação do decreto:

..carlosdeoliveiraa

.   Infelizmente isso virou  Politicagem de Prefeitos Vereadores , Governadores e seus Secretario. Mais o troco vem aí nas eleições...

 

Governo Justifica

“O que é preciso compreender é que temos um estado com regiões em vermelho e laranja, ou seja, em situação grave e gravíssima. E o isolamento social é o que tem mais impactado neste cenário”, destaca a superintendente de Vigilância em Saúde, Raquel Ribeiro Bittencourt. “Não é o momento de se liberar uma atividade em que há contato direto entre as pessoas, por mais que compreendemos as necessidades do setor. O que foi autorizado a retornar até aqui foi o futebol profissional, com uma série de regramentos”.

 

Nesta quinta-feira, 20, Santa Catarina registrou 38% em taxa de distanciamento social. De acordo com os critérios epidemiológicos, o índice ideal para frear o contágio oscilaria entre 50 e 60%.

 

Desportistas tentam sensibilizar secretária Jaqueline

Geraldo Humenhuk,  dono do Ginásio kalhow ball grama sintético e  representantes da Arena JR3, Ginásio Zeppelin e Ginásio Wilson Buch, discordam das medidas tomadas pelo governo do estado e pedem para que o  Poder Municipal conceda mais flexibilidade nas restrições contra o Covid-19. Eles alegam que têm, entre outras despesas, aluguel para pagar, empregados, luz, água e telefone. Na  tentativa de sensibilizar a secretária de Saúde Jaqueline Veiga, os argumentos de que as quadras poderiam reabrir relacionam que outros estabelecimentos como bares, restaurantres, manicure, cerâmicas, salões, fisioterapia, dentista, barbearias, academias, lutas, estúduios, etc, vários ramos de atividades que existe o contato físico entre pessoas estão funcionando. Tendo os devidos cuidados.

 

-Mas porque o futebol recreativo, entre amigos, em sua quadra de 1000 m². com 12 pessoas ao ar livre, não pode? - questionam os desportistas mafrenses.

Sem obter uma resposta por parte da Secretaria de Saúde de Mafra, Geraldo Humenhuk encaminhou uma carta endereça à secretária Jaqueline, na tentativa de ser atendido em sua reivindicação. Segue a nota:

Boa tarde ..

Sra Jaqueline, sou Humenhuk responsável Ginásio kalhow ball grama sintético ......

 

Estou tomando a liberdade de enviar está msg para que tenhamos um respaldo na abertura de nossos ginásios do município...

 

São quatro meses portas fechadas praticamente.. estou devendo perto de 20.000  mil só de aluguel...  Apenas queremos trabalhar.. ..

 

Para sua pessoa saber.. tenho   25  equipes em torno de 500 atletas que jogam futebol aqui.. .. até a data de hoje  18/08/2020 nenhum caso de convid 19 neles ou familiares..

 

Pergunto ?

Porque não podemos trabalhar... ?

 

São 1.000 metros para 12 pessoas jogar bola..  sendo que nos observarmos em qualquer lugar  em menos de 50 metros tem 15 pessoas e ainda sentados ao lado um do outro sem o devido espaço..

 

Em lojas de roupas .. e até pior.. pois não podemos experimentar as roupas levamos para casa e retornamos com o produto.. ou seja levamos o vírus ou trazemos de casa para a loja..

 

Até ônibus circulares de 20 pessoas num espaço de 30 metros ambiente fechado..

 

Peço aos senhores na reunião do novo decreto ... Olhar por nós também.  ... Muito obrigado..

 

José Geraldo Humenhuk

 

A secretária Jaqueline Veiga não se pronunciou até o moemnto, sobre a carta e a reivindicação dos donos de ginásios e quadras de esportes de Mafra.