Fotografo: divulgação
...
Espaço para pais e alunos-sbcsul-26-11-19

Alunos do CEIM Beija-Flor receberam, na manhã de segunda-feira, dia 25, um espaço especialmente preparado para incentivar a leitura, com muita cor, fantasias, almofadas aconchegantes e novos livros. São 1.200 títulos contendo desde clássicos da literatura infantil até grandes autores de romances e contos para o público adulto. O destaque principal ficou por conta dos livros em braile e audiolivros, que proporcionarão a inclusão. Conta ainda com área de pintura, mesas e cadeiras e ambientação lúdica.

 

O novo espaço é fruto do projeto “Leitura no Campo”, com realização da Rede Educare, através da Lei de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial de Cultura, com patrocínio da empresa Kromberg & Schubert.  A sala irá beneficiar os 600 alunos atendidos pelo CEM Beija-Flor, tendo como foco os cerca de 300 alunos do Berçário ao Pré-Escolar II.

 

Na solenidade de inauguração da sala de leitura, a realizadora do projeto e diretora da rede Educare, Kátia Rocha, agradeceu aos parceiros Kromberg & Schubert, à direção da escola, e à Secretaria Municipal de Educação, por aceitar que esse projeto fosse implementado no município, “que já é um município de leitores”. Ela destacou que a sala contem sonhos que moram dentro dos livros. “São 1.200 histórias que os alunos vão poder conhecer. Esse é o grande presente e o nosso sonho”, declarou agradecendo a todos os voluntários que auxiliaram na adaptação da sala para receber o “Leitura no Campo”.

 

Sonho que se transforma em realidade

 

A gerente de Recursos Humanos do Brasil-Paraguai da Kromberg & Schubert, empresa patrocinadora do projeto, Erica Ruesch, destacou que esse projeto começou com um sonho e que outras pessoas que sonhavam junto se conheceram resultando na inauguração da sala no Beija-Flor. “Foi uma sala preparada com muito carinho por varias pessoas que trabalham na Kromber e Schubert e, portanto, tem muito amor e muita dedicação para que estivesse disponível para vocês crianças”, declarou recomendando aos alunos que aproveitem bastante os livros, as aventuras e os sonhos que tem em cada um deles. Ela agradeceu a todos os envolvidos na concretização do projeto.

 

A Gerente de Recursos Humanos da Kromber & Schubert de Mafra, Andrea Dias, também agradeceu ao “time engajado em participar, em pesquisar e conhecer a escola e ajudar a trazer a melhoria a todos”.  Segundo ela, a empresa quando se instala em uma cidade, numa comunidade,não representa somente uma melhoria na economia. “Ela passa a ser integrante dessa comunidade e pra nó é uma realização, é muito bom  conseguir contribuir e estar aqui. Esperamos que vocês curtam muito, pois tem muita coisa legal nessa sala de leitura”, declarou.

 

Espaço democrático

 

A Secretária Municipal de Educação, Estela Maris Bergamini Machado, disse ser este um dia de muita alegria e de gratidão para a escola.  “A Kromber deu esse presente para o município através da Rede Educar. Eles construíram um espaço para que os alunos possam usufruir brincando, lendo, chamando os pais para fazer parte do espaço. É mais um lugar que a gente tem na escola para aprender” afirmou. Ao agradecer a empresa e todos os colaboradores, disse querer mais parcerias como essa. “É muito importante quando uma empresa que se estabelece no município vai além de gerar emprego e renda, quando ela pode agregar um pouco mais como esse alcance social”, afirmou e concluiu: “agradecemos a todos os que trabalharam para trazer essa melhoria para Mafra e para o Beija-Flor”.

 

O diretor do CEM Beija-Flor, Valmor Henrique de Mello, disse só ter a agradecer aos pais dos alunos que trabalham na empresa e que ajudaram na votação para escolher o Beija-Flor para receber a sala de leitura. Agradeceu também aos funcionários da escola, à Secretaria Municipal de Educação, à empresa Kromberg e Schubert e à Rede Educare.  “O domingo foi um dia mágico na escola, com o espaço se transformando nessa sala maravilhosa que inauguramoshoje”, declarou.

 

Leitura no Campo

 

O projeto Leitura no Campo busca a formação de leitores em comunidades  com pouco acesso a leitura. Sua atuação prevê qualificação de bibliotecas comunitárias e complementação de acervo em bibliotecas de escolas, incluindo a revitalização de espaços de leitura. O foco é oferecer novos títulos que possam abranger temas atuais, dando espaço para a diversidade, com livros em braile e audiolivros.