Fotografo: divulgação
...
Novidade gansos, peixes- sbcsul-23-05-20

Devido ao coronavírus, a quarentena na Itália trouxe uma drástica redução no fluxo de pessoas nas cidades do país. Em um dos tradicionais pontos turísticos do país, a cidade de Veneza, gôndolas deixaram de circular nos canais da cidade. Sem circulação de pessoas, a água dos canais, normalmente turvas, ficaram translúcidas ao ponto de peixes ficarem visíveis.
 
As fotos foram compartilhadas no Twitter e assustaram bastante os seguidores da rede social. "Essa pandemia serve para refletirmos sobre o grande impacto que nós seres humanos causamos na natureza", disse uma seguidora. "As vezes fico pensando se a terra só não quer uma folga da gente", comentou outro perfil.
 
Um perfil do Twitter intitulado como "Veneza Limpa" traz mais registros do curioso fato. O perfil, que servia para denúncias de poluições nos canais da cidade, agora registra a limpeza e peixes circulando nas águas.
 
 
Venezia Pulita / Clean Venice
@VeneziaPulita
La natura si riprende I suoi spazi #venice #life #fish #canal #clearwater #nature #urbanwildlife #resilience
 
 
3.656
13:43 - 10 de mar de 2020 · Venice, Veneto
Informações e privacidade no Twitter Ads
1.349 pessoas estão falando sobre isso
primeira vez que eu vejo fotos dos canais de veneza limpos. e com CISNES! sei lá às vezes fico pensando se a terra só não quer uma folga da gente pic.twitter.com/iCFiC25wxK
 
— juliana جوليانا (@julianamchd) March 17, 2020
 
 
Essa pandemia serve para refletirmos sobre o grande impacto que nós seres humanos causamos na natureza. Na Itália os canais de Veneza estão sem tráfego de barcos. O resultado? Águas cristalinas e uma quantidade incrível de peixes recém-nascidos. A natureza precisava respirar ❤️ pic.twitter.com/wlls6uTjcq
 
 
 
A cidade não é a primeira do mundo a apresentar mudanças ambientais diante da pandemia do vírus. Imagens de satélite disponibilizadas pela Nasa no dia 1° de fevereiro mostraram uma redução nos níveis de poluição da China, em especial do índice de dióxido de nitrogênio (NO²) sobre o país onde iniciou o surto da doença.
 
O NO2 é um gás nocivo emitido por veículos de transporte e fábricas industriais. Segundo cientistas da Nasa, a redução foi primeiramente observada na cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus.