Fotografo: divulgação
...
Schelbauer e Juliano-sbcsul.13.09.20

É ou não é...Convenção  partidária do PL e PP ocorrida no sábado,12, no London Club, se deu forma ordeira e surpresas. As pré-candidaturas anunciadas para prefeito e vice-prefeito de Mafra, do vereador Edenilson Schelbauer (PL) e do professor Juliano Munhoz (PP) respectivamente foram confirmadas. O  registro oficial com ata das convenções segue agora para  Justiça Eleitoral e  a partir do  dia 27, toda parte burocrática eleitoral deve estar concluída  e os candidatos começam em definitivo a campanha.

 

Polêmica

Havia expectativa do filiado do PP, empresário e ex-vereador Hebert Werka comparecer na convenção e abrir votação entre os filiados de seu partido sobre sua intenção de concorrer ao pleito como candidato a prefeito. Werka havia informado ao SBCSul ter chapa pronta com Nico Sabatke compondo a vice na chapa que ele encabeçaria.

Sem a presença de Werka ou qualquer manifestação contrária, o diretório municipal do PP oficializou o nome de Juliano Munhoz na chapa encabeçada por Schelbauer.

Werka/Vicente e Schelbauer

Werka disse que não há nenhum posicionamento seu contra o candidato Schelbauer, o qual esteve juntamente com ele exercendo o cargo de vereador na Câmara Municipal nos anos de 2013 a 2016, apenas dizia ter sido colocado de lado pelo PP que o não teria apoiado em sua intenção de ser candidato a prefeito. No Grupo SBCsul de Whatsapp, Werka disse que estaria abrindo mão de ser candidato pelo PP, no dia 1 de setembro,  em apoio a Vicente Saliba (PSL) e trouxe a tona lembranças de quando foi ele, Werka, presidente do Legislativo em 2014 e em meio a uma enchente que assolava Mafra, ele liberou carro oficial da Câmara para transporte dos pais de uma menina que estava sendo levada de helicóptero para tratamento de saúde grave em Florianópolis. Esse caso gerou processo de cassação de mandato de Werka no decorrer, pois pelo estatuto da Câmara, carro oficial não pode ser utilizado por particulares e que a ação de Werka poderia abrir precedentes, portanto ele teria cometido uma irregularidade grave em liberar o veículo e motorista da Câmara e sendo assim cabível de processo de impeachment. O caso se arrastou por meses na época e por fim, no julgamento os vereadores se absteram de votar na sua maioria e o caso foi arquivado.  Assim como naquela ocasião, Werka diz agora estar sendo vítima de conchavos políticos.  

 

...queria que o povo pedisse o dia que abriram a cassação do meu mandato por mandado carro da Câmara levar os pais daquela criança naquela enchente e ver quem votou para cassar o meu mandato e também a votação no dia da cassação – Hebert Werka   

 

A resposta foi imediata no Grupo SBCSul e veio de Edenilson Scherbauer, que disse : Quem articulou o pedido de sua cassação foi o candidato que vc apóia hoje ! ( referindo-se a Vicente Saliba que foi o relator implacável do processo de impeachment na época e que pediu a cassação de mandato de Werka ). _

 

Se foi uma tentativa de responder Schelbauer, Werka diz que não, mas a verdade é que dez dias depois, Werka volta a cena no Grupo SBCsul de Whatsapp e diz querer concorrer a prefeito pelo PP e se realmente isso tivesse se concretizado, teria complicado a indicação de Juliano Munhoz na chapa de Schelbauer.