Fotografo: divulgação
...
Manifestação do dia 17-sbcsul-20-05-20

Ministério Público do Paraná foi implacável com os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, e entrou com ação na Vara Cível da comarca para que um casal que reside na cidade de Marechal Cândido Rondon,  que viajou para participar de uma manifestação em Brasília seja obrigado a cumprir as medidas sanitárias de isolamento social e o descumprimento terá como pena multa de R$ 10 mil para cada um.
 
A Promotoria informou que 17 moradores de Marechal Cândido Rondon estiveram em Brasília. Sairam da cidade dia 14 (quinta-feira) e no domingo, 15 de março estiveram participando de mobilização em favor do presidente e só retornaram dia 19 de maio. Na volta ao Paraná, todos os manifestantes se comprometeram com à Secretaria Municipal de Saúde de Cândido Rondon a ficarem em isolamento domiciliar, pelo menos sete dias, caso não tivessem sintomas, e de 14 dias no caso de apresentarem sintomas de Covid-19. Entretanto, o casal acionado pelo MP se recusou a assinar termo de compromisso, usar máscaras e ficar em isolamento, alegando ser o Covid-19 - uma gripezinha, da maneira com o qual  vem expressando o presidente em seus depoimentos a respeito do coronavírus. No dia 17, expecionalmente, o presidente do Brasil se apresentou ao público de máscara.
 
Na ação judicial movida pelo MP contra o casal, consta que eles viajaram em excursão em  companhia de outras pessoas, mais especificamente com moradores do município de Cascavel  e que Cascavel registrou quatro mortes por Covid-19 em abril, mês que aconteceu a ida à Brasília para dar apoio ao presidente Bolsonaro. O perigo de contaminação é citado em várias ocasiões do processo e que o casal assim como outras pessoas seguiam exemplo do presidente e não usavam máscaras e nem ficaram distantes no minimo de dois metros de outras pessoas, que não conheciam e que poderiam estar contaminadas.