Cidadão Repórter

(47)997532591
Mafra(SC), Sábado, 16 de Janeiro de 2021 - 18:23
29/12/2020 as 03:06 | Por Sinval Campelo | 1182
Bello quer abrir CPI para investigar valor de produção de vídeo onde participa prefeito Maas
O que dizem Prefeitura, a família Anciutti e Emerson Maas sobre a polêmica
Fotografo: divulgaçao
Prefeito Emerson Maas-sbcsul.29.12.20

O prefeito eleito do município de Mafra (SC) Emerson Maas (Podemos) postou no do mingo, 27, ás 19h30 na sua página de facebook esclarecimento á comunidade dizendo que não sabia do valor de R$ 65 mil que havia sido utilizado pela Prefeitura de Mafra para pagar produção de vídeos, incluindo o polêmico Cantata de Natal, onde ele e a vice-prefeita Celina Dittrich Vieira (Podemos) também participaram. Maas declara que, se houve irregularidades os vereadores que assumem o Legislativo em 1º de janeiro deverão investigar.

Nas redes sociais o vereador Abel Bicheski (Bello - SD) já fala em CPI da Cantata de Natal. Para abrir um processo de investigação, é necessário ter cinco assinaturas dos vereadores e dos 13 eleitos, 9 compõe a base de governo do prefeito Maas e nenhum destes se manifestou favorável a abertura de qualquer CPI.  

 

Entenda o caso

O vereador Bello divulgou no grupo de Whatsapp SBCSul, dia 24 de dezembro, às 14h48, post de três empenhos pagos pela Secretaria de Educação através do Programa Cultura e Esporte, nos valores de R$ 30.000,00, R$ 30.000,00 e R$ 5.500,00 para empresas de vídeo e comunicação dos empresários, Ricardo Gomes Anciutti, Patricia Bressolin Gomes Anciutti e John Lenos Gomes Anciutti, respectivamente, totalizando R$ 65.000,00 para uma mesma família.

-Três empenhos diferentes, datas iguais e três membros da mesma família, totalizando R$ 65.000,00 em produção de vídeos. Notas emitidas em 15/12/2020. Só roubalheira  - postou Bello, no grupo de Whatsapp.

-O vereador Dimas (PL) levou ao conhecimento dos demais na sessão da Câmara essa polêmica e ficou marcado que tentaremos abrir uma CPI sobre o assunto – comentou Bello, referindo-se a nova legislatura da Câmara que se inicia dia 1º de janeiro e Bello fará parte da bancada de veraedores, pois foi reeleito.

O que dizem Prefeitura, a família Anciutti e Emerson Maas

- Para deixar bem claro, que não teve licitação. Teve uma Comissão, que é o que diz a Lei Aldir Blanc, a qual fez o julgamento dos projetos. – explicou Luiz Ceccon, do departamento de Licitação.

-- Eles se habilitaram, não teve outros concorrentes. O Jurídico da Prefeitura fez avaliação e todos os entes culturais presentes na Comissão  concordaram. Temos tudo registrado em ata. Nós da Comissão não tínhamos como negar esses recursos a eles, eles estavam habilitados..., infelizmente nesse meio cultural tem muita gente que não tem documentos todos legalizados e por ser um valor federal tinha muitas exigências. Eles têm empresas diferentes...(deixando transparecer que, esse detalhe de ser da mesma família a ser contemplada não era relevante). Se não tivesse sido usado para isso iria voltar pros cofres federais – comentou  Deise Corrêa Rocha, Chefe de Gabinete

 

 

Ricardo Anciutti, postou na página do facebook do prefeito Emerson Maas a seguinte declaração:

Nos últimos dias, o vereador Edenilson Scheubauer levantou acusações e afirmações de que eu e minha família recebemos 65 mil reais para produzir UM video..

O vídeo que ele se referia é a produção “marcas do que se foi” de 4:00 minutos.. com participação de artistas, cantores, músicos, e políticos.

Vamos aos fatos (continua Ricardo...)

O edital de Lei Aldir Blanc (inciso 3) ficou aberto durante 15 dias, onde contemplaria inúmeros artistas, cantores, grupos, produtores, etc. este edital foi divulgado em todas as redes sociais, rádios e mídias.

Vários artistas foram contemplados, com pinturas, lives, etc  E mesmo assim praticamente poucas pessoas se inscreveram sobrando assim muita vagas.

Minha família (habilitada, credenciada e honesta) se inscreveu em 3 categorias

01 Vídeo de 103 anos de Mafra (5.500,00)

07 Vídeos de grupos étnicos (30.000,00)

01 Vídeos de cantata de Natal (1 hora) (30.000,00)

Totalizando 9 vídeos

 

Para a produção dos 9 vídeos seria realizado o repasse de 65.500,00

Na íntegra?

Jamais Ficaram retidos em impostos 21 mil reais (ISS, INSS, IR). Com os 44.500,00 deveriamos em apenas 20 dias produzir todos os 9 vídeos.

Tempo recorde para produção de alto profissionalismo. (Cenário, filmagem, edição, figurino, cantores, som, luz, cronograma, burocracia, etc)

Este valor foi repassado para muitos artistas e grupos étnicos. O dinheiro foi todo distribuído pela cidade. Mas aí que vem o mais interessante ...a prefeitura JAMAIS me pagou para produzir um vídeo de 4 minutos...

EU, exclusivamente eu Dei de presente para nossa cidade este vídeo

Para levar alegria, esperança e amor em todos os lares de nossa cidade.

As notas emitidas estão todas la... para serem consultadas. Os vídeos estão todos disponíveis no YouTube da prefeitura

Somos transparentes e honestos. Fiz meu trabalho com paixão e amor que tenho pela minha cidade. Então antes de acreditar em vereadores (derrotados nas urnas) Pesquise, se informe e acredite...

Existem pessoas honestas. E elas merecem dignidade. Não acuse, não aponte, não minta

Isso magoa e ofende Quem dignamente quer trabalhar honestamente.

 

Emerson Maas sobre o vídeo da cantata de natal

Amigos, eu e a Dra. Celina fomos convidados a participar de uma cantata de Natal, organizada por artistas locais. Nossa participação se deu com o único e exclusivo espírito de colaboração com o evento em apoio à iniciativa dos artistas, uma das categorias profissionais mais atingidas pela pandemia. O valor dos recursos destinados pelo Poder Público para a realização do evento não era do nosso conhecimento. Do mesmo modo, desconhecemos se decorem da Lei Aldir Blanc, ou se o valor divulgado se refere somente aquele evento ou se decorre de outros eventos artísticos organizados pelo grupo em um determinado período de tempo. De qualquer sorte, se houve alguma ilegalidade neste repasse caberia aos atuais vereadores a sua fiscalização, o que desconhecemos se foi ou não realizada. Em caso negativo, caberá aos futuros edis a investigação de eventual irregularidade e consequente responsabilização, pois detêm legitimidade e meios legais para levantar todos os detalhes que envolvem a destinação destes recursos.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil